segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

As nossas decisões moldam os nosso caráter
 

Esta é a forma como quero iniciar não só o dia de hoje como esta semana.
Durante toda a nossa vida, desde que nascemos até ao nosso final, tomamos decisões corretas e incorretas. Mas sejam elas quais forem são as nossas decisões e são elas que nos tornam pessoas com caráter... ou sem ele...
Durante o meu percurso de vida já assisti a algumas situações. Já vivi momentos em que fizeram-me rever as decisões que tomei, e que tomo. Fizeram com que o meu caráter melhorasse e com ele passei a exigir mais caráter aos que me rodeiam.
Não suporto a falta de caráter. Houve situações que vivi que as pessoas tentaram aproveitar-se de mim... ou pelo meu conhecimento numa determinada área; ou pela minha fácil relação com determinadas matérias; ou porque até conheço esta ou aquela pessoas. E no fim, tudo acabava da mesma forma. Essas mesmas pessoas após terem o que queriam afastavam-se. E ainda se riam nas minhas costas.
Isto tornava-me frágil? Triste? Isolada? SIM. E muito... hoje em dia posso responder NÃO. Nada.
Aprendi. Aprendi a avaliar os outros enquanto estes acham que me levam nas suas cantigas. Aprendi a tornar-me forte. Mas tais relações requerem muito de mim, e enfraquecem as minhas energias.
Nessas alturas, procuro ajuda e volto a erguer a cabeça com tanta força que os demais passsam a ser os meus dados no meu jogo e nem se apercebem.
A vida mostra-nos que as pessoas são demasiado mesquinhas e oportunistas. Eu simplesmente gosto de ser sincera.
Prefiro ouvir um sincero NÃO do que um falso SIM..
Para o bem de todos sejemos mais honestos. Fazendo da forma correta conseguimos tudo uns dos outros... não é a fazer nas costas que vamos a algum lado.

Até Breve
dream
mmpamota

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013


E agora…………………….
 
A angústia é algo difícil de perceber, algo difícil de explicar, e muito mais difícil de sentir…

Na minha infância cheguei a ter alguns episódios que eu gostava de lhes chamar “espirituais”, se calhar para me auto-proteger… se calhar para que não me vissem como “maluca”… se calhar… nem sei bem porquê!

Foi numa altura de grandes mudanças na minha juventude… estava a passar a fase estúpida de deixar de ser criança e passara a ser uma adolescente. Foi nessa altura que comecei a ouvir vozes. A maior parte delas a chamarem por mim, pelo meu nome… lá longe como que em sussurro eu ouvia o meu nome “margarida!”… no inicio era assustador! Mas comecei a tentar abstrair-me disso e a pensar que fora eu a confundir algum ruído de fundo com o chamamento.

Foram se passando alguns episódios. Até que culminou num ainda mais aterrador! Vinha a sair da escola, de regresso ao escritório e senti tocarem-me no ombro esquerdo e a dizerem “Margarida…” como se quisessem iniciar uma conversa. Olho e vejo o rosto de um homem. Deveria andar na casa dos 40 anos, rondava o metro e setenta centímetros de altura e no seu rosto perdido no meio da pêra e bigode rentes tinha um olhar perdido… Fiquei aterrorizada, pestanejei umas vezes seguidas e apercebi-me de que afinal não estava lá ninguém. O desespero foi tal que apressei o meu passo e só queria chegar ao meu destino.

Apesar de ter relatado o acontecido, ninguém deu valor e eu própria também não o queria dar. Mas era mais forte do que eu. Dias e dias seguidos a pensar nisso… até que as visões foram passando. Por vezes lá vinha mais uma mas foram-se tornando cada vez mais espaçadas.

Anos depois e devido a outras situações, voltei a ter uma ou outra visão. Mas com menor clareza. Comentei com a minha psicóloga ao que me explicou poder ter-se tratado de “esquizofrenia juvenil”. Fiquei de certa forma admirada… mas, mais uma vez não tentei valorizar a situação.

O que é certo é que ando numa fase mais sensível e há certos assuntos, atitudes, momentos que me deixam mais fragilizada… e foi o que me aconteceu estes dias e me anda a abalar muito.

Num destes domingos estava sossegada no sofá a ver um dos meus filmes preferidos “Uma mente brilhante”, filme este que relata a vida de um doente de esquizofrenia… chorei, chorei, chorei… via o filme e pensava que não era assim que eu me queria tornar… o medo surgiu… desde então não penso noutra coisa. Isto não me faz nada bem, passados quatro dias durante a noite tive um ataque de ansiedade… andei todo o dia mal, com os olhos sempre a espirrar. Não sei o que fazer…

Será que sou uma pessoa provável a ter esquizofrenia…

Tenho medo… muito medo.
Até Breve
dream
mmpamota

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Quem sou... o que faço aqui...

Todos os dias, de uma forma ou de outra nos debatemos com estas interrogações. Quem sou eu afinal???? O que faço aqui???? Agora com 32 anos já tenho a minha resposta. Sei perfeitamente quem sou e o que faço aqui.
É por aqui que quero iniciar este bloog. Sou uma mulher, mãe de dois filhos maravilhosos, com um marido 5 estrelas e muito feliz.
O que faço aqui. Esta é a definição que requere maior dedicação. No meu caso estou aqui para educar, ser mãe. Estou aqui para ser feliz. Estou aqui para me sentir concretizada.
E, é neste ponto que muitas de nós nos debatemos com outra questão...
Seremos nós pessoas concretizadas????
Neste momento ainda não me sinto 100% realizada. Mas estou quase. Já tenho o principal na minha vida agora só falta anível profissional.
Sempre tive um sonho, de me tornar "grande" na área da criatividade. Tirei uma licenciatura em Marketing e Publicidade, mas não é o que gosto... Em adolescente criava telas, mas não é área que queria para profissão, mas sim como satisfação pessoal. Recentemente entrei no maravilhoso muito do Cake Design...
Aos 31 anos, descobri o que quero para o meu futuro. Quero criar obras de arte. Quero dar a conhecer o meu talento. Quero ensinar outras pessoas a serem criativas. Quero ser uma Cake Designer Profissional.
Mas este não será um passo fácil de ser dado. Acima de tudo não posso perder a estabilidade financeira que ainda consigo ter... Mas de uma coisa tenho a certeza, deste sonho não vou desistir. E também sei que se não fosse o facto de ter dois filhos para criar já me tinha "atirado de cabeça" para o meu sonho.
Cada coisa a seu tempo... Mas este ano será o meu ano de realização total. Disto tenho a certeza e não vou abdicar. O inicio já está lançado www.facebook.com/cakenflavor

Façam o mesmo. Definam o que realmente gostam e querem para o vosso futuro e sigam em frente.


Até Breve,
dream
mmpamota